17 de abril de 2024 - 19:20

Agronegócio

03/04/2024 09:46

Comercialização do milho no Brasil em marcha lenta

Perspectivas para a produção Nacional e Internacional pela Consultoria Agro Itaú BBA

Após dois meses consecutivos de queda, os preços do milho em Chicago registraram uma valorização na parcial de março, alcançando cerca de USD 4,28 por bushel. Paralelamente, em Campinas (SP), os preços também apresentaram uma leve alta em relação a fevereiro. No entanto, o ritmo de comercialização do cereal no Brasil permanece baixo, influenciado pela incerteza em relação ao desenvolvimento da segunda safra e pela estabilidade dos preços.

Cenário Nacional

Os preços do milho continuam em níveis inferiores aos observados no mesmo período do ano passado, devido aos menores patamares do trigo e à recomposição dos estoques americanos do cereal. Atualmente, a saca do milho está cotada em torno de R$ 63, mantendo-se estável desde o final de janeiro em Campinas. Apesar da pressão da oferta, os produtores têm limitado os volumes ofertados, na expectativa de uma valorização dos preços.

Colheita e Comercialização

Aproximadamente 14,5% da safra de milho verão estimada em 23,4 milhões de toneladas pela Conab já foi colhida, com os produtores retendo uma parcela significativa da produção na esperança de melhores preços. No entanto, apenas 21,8% da safra mato-grossense foi comercializada até o momento, marcando uma mínima histórica para o período. O clima mais quente e seco observado recentemente levantou preocupações sobre o desenvolvimento das lavouras de segunda safra.

Perspectivas Internacionais

O relatório do USDA trouxe mudanças na produção de milho da Argentina e da Ucrânia, enquanto o mercado aguarda o relatório de intenção de plantio dos EUA, que será divulgado em breve. As projeções para a Argentina indicam um aumento na produção, enquanto na Ucrânia houve uma revisão para baixo. O Brasil manteve sua produção em 124 milhões de toneladas, com as importações chinesas também mantidas em 23 milhões de toneladas.

Desafios e Tendências Futuras

A redução da área de plantio de milho nos EUA devido à menor rentabilidade e aos altos estoques do cereal tem sido discutida. A incerteza quanto ao tamanho dessa redução pode impactar os estoques para a safra 2024/25. Além disso, as previsões de chuvas abaixo da média para abril e maio no Brasil podem trazer volatilidade para os preços nas próximas semanas, destacando a importância desses meses para a definição da produtividade da segunda safra de milho.

Fonte: Portal do Agronegócio

 

Plantão

(66)98408-0740

Copyright  - O Interior News - Todos os direitos reservados